Personal tools
You are here: Home Blog (português) Primeiro vieram atrás dos fumantes

Primeiro vieram atrás dos fumantes

Posted by Ricardo Bánffy at Aug 14, 2009 12:55 AM |

Outro dia, na porta do escritório, participei de uma conversa interessante. Dois amigos fumantes, que agora precisam sair do prédio para fumar - não podem mais fazê-lo no terraço da cobertura, por exemplo, estavam reclamando. Me diverti com o argumento de que poderiam obrigar fumantes a usar um símbolo costurado às roupas. Poderiam também criar bairros específicos para eles, para que não interferissem com o espaço vital dos outros e pudessem, neles, fazer todas aquelas coisas que fumantes fazem, entre eles. Esses bairros poderiam ter seu acesso controlado, para que fumantes não pudessem sair, enquanto a sociedade pensa em uma solução final para esse problema.

O Pastor

O fantasma do Pastor Martin Niemöller me assombra de tempos em tempos. A crescente estupidificação de nossa civilização e suas possíveis conseqüências me incomoda. É com um pouco do espírito dele, da vontade de alertar os meus semelhantes de uma iminente bobagem, que eu fiquei com vontade de brincar com um poema que ele não se lembrava de ter escrito, mas que é atribuído a ele mesmo assim.

Primeiro vieram atras dos fumantes, mas,
como eu não fumo, eu não disse nada.

Depois vieram atrás dos gordos, mas,
como eu não sou gordo, eu não reclamei.

Então vieram atrás de quem dirige carros.
Como há tempos eu não dirijo, eu não me levantei.

Por fim, quando vieram atrás dos inteligentes que sobraram,
os que vieram eram burros demais para entender os protestos.

Nota rápida: um amigo meu me alertou para um fato curioso: parece que o poema, ocasionalmente atribuído a Brecht, é muito parecido com o de um brasileiro, Eduardo Alves da Costa.