Personal tools
You are here: Home Blog (português) Market share Superior



 

Market share Superior

Posted by Ricardo Bánffy at Nov 07, 2009 07:56 PM |

Hoje o Macmagazine está mostrando uma matéria assinada pelo Rafael Fischmann, que é um cara muito legal e que escreve bem, que usou um termo de uma forma que, eu entendo, leva a uma interpretação absurda.

Ele diz "O Windows 7 (...) tem um market share superior ao do Mac OS X 10.6 Snow Leopard" (o destaque é meu).

Eu sei perfeitamente bem que o market share do Windows é imenso. Sei igualmente bem que qualquer versão de Windows vai cruzar a barreira de 10% de usuários com relativa facilidade, uma vez que é quase mais difícil comprar computadores genéricos com a versão anterior de Windows (o que, com a caca que é o Vista até fazia sentido antes, mas com o 7 - que é melhorzinho - não faz mais) do que comprá-los com Linux. Computadores quebram e são aposentados. Computadores novos vêm com Windows 7.

Simples assim. O crescimento dele no mercado é tão inevitável quanto o próximo nascer do sol ou decaimento do Urânio 235.

A palavra certa

"Maior". O market share do Windows 7 é maior do que o do Snow Leopard. É maior do que o do Linux. Mas, Rafael, me perdôe, não é superior exceto na estreita interpretação de superioridade numérica.

Superioridade numérica raramente pode ser ligada a "melhor", um sinônimo do adjetivo "superior" que é mencionado no dicionário. Há mais pagodeiros do que jazistas e mais funkeiros do que amantes de bossa-nova. Corinthianos são mais numerosos do que são-paulinos. O Xbox 360 é mais vendido que o PS3 e o PS2 é mais vendido que os dois juntos. "Mais" nunca quer dizer "melhor". Uma coisa não tem relação com a outra.

Então, vamos encarar o inescapável fato de que usuários de Mac, GNU/Linux, BSD e OpenSolaris são mais selecionados do que os de Windows, porque:

  • Eles sabem o que é um sistema operacional e são capazes de escolher qual usar (tirando aquela meia-dúzia de sempistas que compraram Mac porque era chique)
  • Entenderam que sistemas Unix-like são mais seguros, estáveis e versáteis do que esse filho bastardo do VMS que a Microsoft vende por aí
  • Sacaram que todo o jeito com que se instala programas no Windows é completamente surreal. No mau sentido.
  • No caso dos usuários de OpenSolaris, entenderam que ZFS é ducaralho.
  • No caso dos usuários de Linux e de OpenSolaris, entenderam que gerenciamento de pacotes é O Único Jeito São de se manter um computador e o software que roda nele inteiros. Eu excluo os usuários de Mac e BSD porque os sistemas deles ainda precisam comer muito arroz com feijão nesse terreno.
  • Descobriram que mesmo aquele Atom vagaba que se arrasta no XP consegue rodar uma dúzia de programas sem deixar nenhum deles impossivelmente mais lento do que os outros.
  • E que tiveram outras tantas pequenas epifânias para as quais usuários de Windows simplesmente ainda não estão prontos.

O Windows é feito para o homem comum, para os medianos, para quem não se preocupa em ter a melhor ferramenta. Não hostiliza os abaixo-da-média e atrás-da-curva, uma inclusividade social louvável por si só. O market share dele é grande justamente por isso.

Mas, cá pra nós, superior mesmo é o resto do market share.

Não é questão de quantidade, mas qualidade.

Ah...

Posted by Anonymous User at Feb 12, 2010 03:13 AM
Acho que você tá querendo fazer proselitismo em cima de uma questão linguística. Meus amigos francofónos usam "superior" quando querem falar "maior". Mas isso está na raíz do termo em francês: "2 est supérieur à 1" deveria ser "2 é maior do que 1".

Mesmo assim, eles dizem "2 é superior a 1". Não é questão de quantidade, nem de qualidade. É questão linguística.